Documentos

Édouard Manet no Dia da Mãe

Contigo aprendi tudo  que sei...Aprendi a andar, comer, a ler e escrever mas aprendi também o mais importante...aprendi a VER! Hoje eu vejo mais de 100 cores diferentes numa paisagem, vejo o sentimento numa pintura ou até o sentido de um poema sem nexo. Hoje eu consigo ouvir cada instrumento, por si só, de toda… Continuar lendo Édouard Manet no Dia da Mãe

Objetos

Inocência perdida

Adorava aquela sala, figuras de animais imponentes que só ali podia ver de tão perto. Havia peças feitas de osso, de pele ou de marfim. Para mim eram provas das suas existências em lugares longínquos que na minha imaginação visitava. Ele orgulhoso mostrava-me as peças herdadas da família. Foi o meu avô que trouxe de… Continuar lendo Inocência perdida

Documentos

Registos da Natureza – 1904

Todos os dias ela trazia sem eu saber um pequeno ser vivo para casa... - O que trazes aí na mão? Perguntava-lhe desconfiada. - Nada, nada... Escondendo mais um pequenino bicho que aqui em casa vinha morar. - O que estás a fazer junto à janela? - Estou a ver as tuas flores.... são bonitas....… Continuar lendo Registos da Natureza – 1904

Lazer

Bolo-Rei – Brindes e Tradições

Naquela noite tinha adormecido no sofá com o novo membro da família ao colo. Quando acordei de manhã já com o sol a bater no rosto reparei que a cachorrinha já tinha vagueado pela sala.  Fui até junto do presépio de que muito me orgulhava e foi nessa altura que reparei que os presentes que… Continuar lendo Bolo-Rei – Brindes e Tradições

Adereços

Cartola – Tendências e Extravagâncias

- Estou bem assim? Perguntou-me uma vez. Olhando para ela e vendo que usava demasiados ornamentos, mas não querendo ser brusca respondi-lhe: -Hum, um pouco exagerada não achas? - Não posso sair assim? Arriscou mais uma vez. Pronto, tive de ser verdadeira: - Acho… bem não leves a mal… mas pareces uma árvore de natal com… Continuar lendo Cartola – Tendências e Extravagâncias

Lazer

Pirâmide de Natal

      Apagavam-se as luzes, acendiam-se as velas. Olhava para o tecto, sombras em movimento previam a época  que chegava.   Eram minutos de silêncio partilhados por todos nós. Era um ritual, o nosso ritual de natal.     Embora a árvore de natal seja associada a diversos cultos pagãos nomeadamente aos festejos do solstício… Continuar lendo Pirâmide de Natal

Adereços · Valor

A era do Ouro – Elizabeth I

Dentro daquelas gavetas havia livros com moedas, algumas prateadas e outras amarelas, havia moedas rosadas ou vermelhas e ainda outras acastanhadas. - Esta moeda está furada porquê? Perguntei eu naquele dia. - É uma moeda da sorte… a lucky coin! Respondeu-me ele, repetindo na sua língua primária como fazia habitualmente quando se entusiasmava. Fiquei em… Continuar lendo A era do Ouro – Elizabeth I

Faianças

Chá e Deuses

Cinco batidas ritmadas no velho relógio de parede. Fiquei alerta, pouco depois a porta do escritório abriu-se. Ele olhou para mim e perguntou: - Os trabalhos estão feitos? - Quase, quase… respondi, mas com o olhar já perdido na outra mesa onde o chá me esperava. - Vá, faz uma pausa e vem lanchar, chamou-me… Continuar lendo Chá e Deuses

Documentos

O Livro: βιβλία

Cumpri o que te prometi… ou quase Percorri todos os teus castelos ou quase todos Abri todas as tuas masmorras ou quase todas Conheci tudo o que havia para conhecer ou quase tudo… Abracei as tuas memórias Fiz delas as minhas recordações também! Nada se dissipou ou quase nada Cumpri o que te prometi… ou… Continuar lendo O Livro: βιβλία

Lazer

Uisge beatha – Johnnie Walker

Nos serões de inverno a seguir ao jantar, seguíamos para a sala de estar e saboreando uma bebida, dávamos oportunidade às palavras. Nessa noite, sentado no seu sofá preferido junto à lareira sem nada dizer, fazia rodar o copo com whisky junto às narinas inspirando o seu aroma. - Hoje não conversa connosco? Perguntei, nada… Continuar lendo Uisge beatha – Johnnie Walker